DEUS, O HOMEM E O TRABALHO

03/10/2015 22:48

 

Certa vez eu ouvi dizer que o trabalho deveria ser o brinquedo do adulto.

Foi aproximadamente há 26 anos , a 1ª vez que eu vivenciei a experiência de perceber o trabalho como  algo tão empolgante, quanto um brinquedo para uma criança. Foi a época em que eu comecei a trabalhar como instrutora de treinamento. A empolgação era tanta, que eu passava os finais de semana pesquisando e elaborando planos de aula. Era uma diversão! Como a experiência humana é feita de altos e baixos eu também já passei por temporadas, em que era só eu colocar os pés na empresa, que o meu estômago começava a doer. A última vez em que me senti assim, tinha uma pergunta que não saia da minha cabeça:

 _ Por que Deus permitia que eu gastasse a maior parte do meu tempo trabalhando, quando havia tanta coisa para conhecer e fazer nesta vida?

Nesta ocasião eu precisava de respostas que pudessem dar um sentido a minha vida profissional, por isso comecei a registrar o meu dia a dia no trabalho. Com o tempo as anotações foram gerando reflexões, ganhando significado e foi assim que eu escrevi o livro, ainda não publicado, “FABULAS MODERNAS: Deus o Homem, a Formiguinha e o Trabalho”.

O livro conta a história da amizade que surge entre um Homem e uma Formiguinha, quando ela decide ajudá-lo a entender qual é a função do trabalho na vida do Homem.

Para inaugurar  a  seção Vida e Trabalho eu vou compartilhar com vocês a 1ª história que deu origem ao livro.

DEUS, o Homem , a Formiguinha e o trabalho

 Certa vez, um homem muito cansado do seu trabalho reclamou:

_ Oh DEUS! Porque somos obrigados a trabalhar?  Será que eu terei que passar a maior parte da minha vida trabalhando?

Uma formiguinha que passava perto, ouvindo a reclamação do homem, não resistiu e perguntou: _ Por que você não gosta de trabalhar?

O Homem: _Porque trabalhando eu não sou o dono do meu tempo e além disso, às vezes me mandam fazer coisas que não gosto ou pior ainda, coisas que eu nem sei fazer.

Ficaram em silêncio por um tempo, até que a Formiguinha disse:

_Hum... Sabe, eu posso te ajudar!  Mas você terá que fazer exatamente o que eu lhe disser.

_ Então diga! Retrucou o Homem.

_ Escolha um trabalho onde você possa usar uma das suas habilidades, tem que ser algo que você goste de fazer, mas preste muita atenção no que eu vou lhe dizer agora: _ Aconteça o que acontecer, só se preocupe em fazer o seu melhor! Agora tenho que ir, mas assim que possível eu volto para saber como você se saiu. 

Como o Homem tinha habilidade para se comunicar e gostava muito do convívio com as pessoas, decidiu que iria trabalhar como vendedor. Dias depois as coisas estavam indo tão bem, que ele nem reclamava mais de ter que acordar cedo e passar o dia todo no trabalho, e seguindo o conselho da formiguinha a sua única preocupação era fazer o seu melhor. Em pouco tempo ele se destacou entre os colegas de trabalho e foi promovido a supervisor.

Como supervisor a sua principal responsabilidade era formar novos vendedores e mais uma vez, lembrando do conselho da formiguinha, ele procurou fazer o seu melhor. Com muita dedicação, o Homem ensinou tudo o que sabia para as novas equipes de vendas.

Dez dias depois da sua promoção, o Homem foi chamado pelo seu chefe para uma conversa. O motivo não era bom. Uma das equipes que ele havia treinado, não estava vendendo nada. Sem entender o que estava acontecendo, o Homem dirigiu-se ao ponto de venda e em pouco tempo  descobriu que as vendas não estavam acontecendo, porque os vendedores tinham esquecido quase tudo o que ele havia ensinado sobre os produtos. Diante da situação, o Homem ficou com muita raiva, afinal ele havia feito o seu melhor, informado detalhe por detalhe de cada produto e os vendedores não lembravam de quase nada do que ele havia ensinado. O Homem passou horas e horas com um diálogo interno, no qual ele se perguntava, de que havia adiantado ter feito o seu melhor se as outras pessoas, de quem  ele dependia, não fizeram a sua parte. O Homem trabalhou aquele dia inteiro com um sentimento de raiva e indignação, achando que ele era a única pessoa no mundo que se importava em fazer o seu melhor. 

Esta situação literalmente roubou a paz do Homem, mas mal sabia ele que o pior ainda estava por acontecer. Após treinar novamente todos os vendedores, encerrou o dia de trabalho e seguiu para a sua casa. Quando já estava no meio do caminho  o Homem foi atacado por um louco sujo e maltrapilho e só não se machucou, porque devido a uma chuva fina que caia naquela noite, ele estava com o guarda-chuva aberto e este serviu-lhe de escudo contra as investidas do louco.

 

                          Ilustração:  Cristina Alves

 

Após desvencilhar-se do louco o Homem correu meio sem rumo, até que deparou-se com a formiguinha. Muito indignado ele reclamou:

_Como pude acreditar em você??? Pensei que  havia dito que eu só deveria me preocupar em fazer o meu melhor !?!? De que adiantou tanto empenho, se agora eu dependo de pessoas que não fazem a sua parte? O que eu ganhei fazendo o meu melhor ??? A falta de consideração dos vendedores, que nem se deram ao trabalho de estudar e ainda, para encerrar o dia,  uma chapuletada de um louco sujo e maltrapilho!!!!

Apesar da fúria do Homem, a Formiguinha retrucou calmamente:

_ Quem disse que os vendedores não estavam fazendo o seu melhor?  Para um vendedor, fazer o seu melhor pode significar chegar no horário, atender aos clientes com simpatia, mas pode não incluir “conhecer muito bem o seu produto”.

O Homem: _Mas isto é o mínimo que se pode esperar de um vendedor!

A Formiguinha:_ E você? Acredita mesmo que fez o seu melhor?

O Homem: Claro que sim! Montei um programa de treinamento, desenvolvi apostilas, expliquei detalhe por detalhe de cada produto e pacientemente esclareci todas as dúvidas. Posso dizer que com muita dedicação, ensinei tudo o que eu sabia.

A Formiguinha: _Pois eu te digo: Você NÃO FEZ O SEU MELHOR!

Ignorando que o Homem estava quase explodindo de tanta indignação, a Formiguinha prosseguiu calmamente.

_ Eu também cometi um engano. Quando disse que você só tinha que se preocupar em fazer o seu melhor, achei que você já sabia o que isso significava.  Sabe porque você não fez o seu melhor ? Porque faltou AMOR!

Surpreso com o que a Formiguinha acabava de dizer, o Homem questionou:

_ Como assim ???

E a Formiguinha, contente por ter despertado o interesse do Homem respondeu com uma pergunta:

_ O que você sentiu quando descobriu, que os vendedores haviam esquecido quase tudo o que você ensinou?

Sem olhar para a Formiguinha o Homem respondeu:

 _Raiva!

Diante da resposta do Homem, a Formiguinha prosseguiu:

_ Você pode até cumprir as suas responsabilidades com dedicação (organização, método, disciplina), mas se não fizer o seu trabalho com amor, não terá feito o seu melhor.

O Homem:_ Tudo bem... Você tem razão! Agora até consigo entender que hoje eu não fiz o meu melhor porque faltou amor, mas tem uma coisa que eu não entendo...  Será que eu fui uma pessoa tão ruim assim, a ponto de DEUS permitir que o louco me atacasse ?

A Formiguinha: _Você passou o dia todo criticando as pessoas porque elas não se importavam em fazer o seu melhor, então penso que DEUS permitiu que o louco atravessasse o seu caminho, para que você pudesse compreender que existem pessoas, que não tem a menor condição de entender o que significa “fazer o seu melhor.

O Homem: _Essa eu não entendi!!!

A Formiguinha:_ Eu tenho a consciência de que eu sei de coisas que você não sabe, mas isso não faz de mim uma pessoa melhor do que você. Com certeza você também sabe de coisas que eu não sei.

O Homem:_Ainda não entendi!!!

A Formiguinha: _ Penso que o louco só te atacou para que você, em algum momento, pudesse compreender que até mesmo uma pessoa que aparentemente não tem a menor noção do que faz, está evoluindo. É preciso respeitar o processo de evolução de cada um. Quando “você acreditar” que já evoluiu em algum aspecto, não critique aquele que ainda não conseguiu. Cada pessoa tem o seu processo de evolução. Se estiver disposto a fazer o seu melhor, ao invés de criticar, cative o outro para que ele se interesse em conhecer aquilo que “você acredita” que lhe é útil. Cabe a cada um, decidir qual é a verdade e a utilidade da informação que recebe. Penso que os aspectos que as vezes consideramos muito importantes na nossa evolução, nem sempre tem o mesmo valor na vida de uma outra pessoa. Cada um aprende o que tem que aprender, de acordo com a sua necessidade e grau de compreensão.  E já virando as costas para partir, a Formiguinha disse: _É certo que DEUS deixou o louco atravessar o seu caminho, mas como você é um bom homem também mandou a chuva!

 

Moral da história: O trabalho é só mais uma das maneiras que Deus encontrou de proporcionar ao homem, o aprendizado que ele precisa para evoluir.

 

Vale a pena ressaltar que esta história, assim como todas as outras, do livro “FÁBULAS MODERNAS: Deus o Homem, a Formiguinha e o trabalho” foram inspiradas em fatos reais. O Homem é o protagonista das histórias que eu vivi e a Formiguinha é a representação das inspirações e conversas que eu tinha comigo mesma, ou com o meu marido.

 

Um abraço,

Cristina Alves

 

Veja na próxima publicação (15/10/2015):

DEUS, o Homem, a Formiguinha e a injustiça no trabalho.

Aonde estava Deus, quando a corda estourou do lado mais fraco? Cadê a justiça divina ? Estas eram as perguntas que não saiam da cabeça do Homem...

 

 

 

Newsletter

GOSTARIA DE RECEBER GRATUITAMENTE NOVOS POSTS? DEIXE SEU E-MAIL LOGO ABAIXO


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!