Aonde estava Deus, quando a corda estourou do lado mais fraco?

15/10/2015 07:56

 

Quem é que já não se sentiu injustiçado no trabalho? Houve um período  na minha vida profissional, que parecia que quanto mais eu me esforçava para fazer o meu melhor, mais as coisas davam errado.

Foi nesta ocasião que um episódio, fez com que eu questionasse Deus, a respeito da justiça divina.

Foi inspirada pelo sentimento de ter sido injustiçada no trabalho, que na ocasião , escrevi a história abaixo, para o livro ainda não publicado, Fábulas Modernas _Deus o Homem, a formiguinha e o trabalho.

 

Deus, o Homem, a Formiguinha e a injustiça no trabalho.

 

                                                          Ilustração:  Cristina Alves

                                                                         

 

Era uma vez, um Homem que trabalhava em uma grande empresa e estava com dificuldades para motivar a sua equipe, herança que recebera  quando foi promovido a supervisor de vendas.  A equipe estava muito insatisfeita e ouvia-se dizer que o motivo de tanta insatisfação era que o antigo chefe distribuía responsabilidades para todo mundo, mas levava os méritos do sucesso sozinho.

 

Diante da situação o Homem pensou, pensou... até que chegou a conclusão que a única maneira de conquistar a equipe, seria ser o mais transparente possível. Dia a dia, com muita boa vontade, ele foi mostrando a todos que estava na equipe para somar. A sua atitude deu tão certo que a equipe começou a mudar o comportamento, e em pouco tempo passou a haver um envolvimento maior de todos na busca por resultados.

 

Tudo estava indo muito bem até que um dia o Homem foi interpelado no ponto de venda por um dos vendedores. De toda a equipe aquele vendedor sempre fora o mais ressabiado. Tinha o discurso repetitivo de que “não queria ser explorado por mais ninguém”. Dizem que devido a sua competência, o antigo chefe passava todos os problemas para ele resolver.

O fato é que naquele dia, o vendedor queria saber se podia mostrar ao Homem algumas sugestões que poderiam ajudar no treinamento dos vendedores. O Homem que estava ocupado,  fez uma breve análise do material, constatou que haviam boas sugestões e disse:

 

_ Como agora eu não tenho tempo para ver tudo com detalhes faça o seguinte, mande o material para o meu e-mail com cópia para o departamento de marketing. Desta forma eles também vão ter a oportunidade de conhecer as suas ideias.

 

Na cabeça do Homem, com esta atitude ele estaria demonstrando na prática que não tinha a menor intenção de levar méritos a partir da ideia alheia, além do que, como o material dizia respeito a apresentação de produtos, seria interessante que o departamento de marketing também tomasse conhecimento das sugestões.

 

Antes que o vendedor virasse as costas, o Homem fez-lhe a seguinte recomendação:

_Peço que tome o cuidado de especificar o assunto do e-mail, com a palavra SUGESTÕES, em letras maiúsculas.

  

O fato é que o Homem, nem de longe, podia imaginar o que iria acontecer no momento em que o vendedor desse ENTER para enviar o e-mail.

 

A primeira pessoa que tomou conhecimento do e-mail foi a assistente de marketing. Assim que “deu uma olhada no conteúdo”, ficou tão indignada que tratou de responder:

_Penso que seria interessante verificar quem autorizou um  vendedor a enviar este e-mail. Afinal é o departamento de marketing que supri todo o conteúdo de informações para o treinamento dos vendedores, além disso ele cometeu muitos ERROS e isso pode causar problemas futuros para o Atendimento ao Consumidor.

 

O gerente de marketing foi a segunda pessoa a manifestar uma opinião a respeito do e-mail, “meio sem tempo para ler tudo”, mas muito impressionado com os comentários da assistente, sem pensar duas vezes e ainda mais indignado, mandou a seguinte mensagem  para o Gerente do Homem:

 

Onde já se viu um vendedor, querer questionar o material  produzido pelo departamento de marketing?

 

1º Devemos esclarecer que é o departamento de marketing, quem deve suprir todo o conteúdo de informações para o treinamento dos vendedores.

 

2º Penso que é necessário verificar se o supervisor da equipe está apto para orientar seus funcionários. Esta ”falta de conhecimento generalizada” no setor, pode causar problemas futuros para o Atendimento ao Consumidor.

 

Quando o Gerente do Homem recebeu o e-mail do Gerente de Marketing, muito impressionado com os comentários, antes mesmo de ler o conteúdo enviado pelo vendedor, respondeu prontamente dizendo assim:

 

_Vou cuidar para que este tipo de ERRO não mais aconteça.

 

Assim que clicou ENTER para enviar a resposta,  imediatamente o Gerente de Promoções ligou para o celular do Homem e esquecendo todos os princípios de cordialidade, sem se identificar ou fazer qualquer tipo de saudação foi logo perguntando:

 

_Quem este vendedor pensa que é, para tamanha afronta? Onde já se viu questionar o material de treinamento produzido pelo departamento de marketing? Sem dizer que ele cometeu vários ERROS! E você? Será que você está apto a orientar a sua equipe? Você não tem ideia do transtorno que este e-mail causou na empresa e dos problemas futuros que pode causar para o Atendimento ao Consumidor.  E antes que o Homem pudesse dizer qualquer coisa em sua defesa, o Gerente de promoções encerrou a ligação dizendo: _Agora tenho um compromisso importante, mas quero que esteja na minha sala em 30 minutos.

 

Foram os 30 minutos mais longos da vida do Homem. Sem entender como um simples e-mail poderia causar tantos transtornos ele suplicou a DEUS:

 

Oh DEUS, tu que tudo vê e tudo sabe, ilumina as ideias do meu Gerente:

 

_Faça com que ele entenda que um e-mail de  SUGESTÕES não pode causar mal algum.

 

_Dê-lhe a compreensão de que as ideias boas podem ser aproveitadas e as ruins descartadas.

 

_Manifeste nele a inteligência divina para que ele perceba que os ERROS identificados no texto do vendedor não devem ser punidos, e sim corrigidos já que ele não teve medo de se expor.

 

_Mas Senhor, mais que tudo, peço-lhe que me dê muita sabedoria para que eu possa impedir que o meu ORGULHO e VAIDADE façam com que eu diga poucas e boas ao meu gerente!

 

 

 

No meio tempo, em que as trocas de e-mail foram acontecendo, do outro lado do mundo alguém dava um ENTER que  iria mudar o rumo desta história, era o Diretor de Marketing que só não respondeu o e- mail imediatamente ao recebê-lo,  porque estava em viagem de negócios. Diziam que o Diretor de Marketing era uma pessoa metódica, mas o fato é que ele costumava analisar detalhadamente toda informação que chegava ao seu conhecimento.

 

A mensagem do Diretor dizia o seguinte:

 

_Li o e-mail do vendedor. Depois quero parabenizá-lo pessoalmente pelas SUGESTÕES, principalmente pelo gráfico de produtos, que com certeza vai ajudar muito o pessoal do Atendimento ao Consumidor. Vi que posterior a mensagem do Vendedor foram feitos vários comentários e peço desculpas, pois ainda não tive tempo de lê-los. Estou na maior correria!!!!

Verifiquei que o vendedor cometeu alguns ERROS  de nomenclatura mas isso pode ser facilmente corrigido com uma reciclagem.

 

OBS.:  Prometo que assim que sobrar um tempinho vou dedicar uma atenção especial para ler o comentário de cada um de vocês.

  

Passado os 30 minutos, assim que o Homem chegou a sala do seu gerente, este rapidamente esclareceu o mal entendido e ainda tratou de elogiar o Homem pelos resultados que este andava obtendo com a sua equipe.

 

E foi assim, como numa brincadeira de telefone sem fio, que a Analista, o Gerente de Marketing e o Gerente de Promoções aprenderam a seguinte lição:

 

Tem 4 coisas que não voltam atrás, a flecha lançada, a palavra pronunciada, a oportunidade perdida, e o e-mail enviado.

 

 

 Moral da história

 

Quando apontar um ERRO?

 

Quando o ERRO é seu,  afinal é bom ser capaz de reconhecer os próprios erros. 

Quando o ERRO não é seu, mas você conhece uma maneira de corrigí-lo.

Quando a omissão de um ERRO pode gerar outros erros.

NUNCA, quando a intenção for se autopromover.

NUNCA, quando não tiver a certeza de que realmente houve um erro.

 

 

Passado alguns dias, o diretor de marketing chamou o Homem em sua sala para mostrar um material que ele havia criado para o próximo treinamento.  Quando o Homem pegou o material em suas mão, qual não foi a surpresa ao descobrir que era uma cópia da ideia do vendedor. Como se não bastasse ele ainda teve de ouvir do diretor:

_Fala se eu tive ou não uma boa ideia?

O Homem ficou perplexo diante daquela situação.  Sem saber o que pensar ou dizer, forçou um sorriso, fez um comentário qualquer e saiu da sala o mais rápido que pode.

O Homem passou dias indignado com a situação e questionando, onde estava Deus quando a corda estourou do lado mais fraco? Tinha uma pergunta que não saia da sua cabeça: _Cadê a justiça Divina?

Demorou alguns dias, até que a Formiguinha aparecesse novamente para o Homem. Inconformado com a situação assim que a viu, foi logo contando o ocorrido e dizendo:

-Não é possível! Será que Deus não vê o que está acontecendo? Cadê a justiça divina? Qual é a moral desta história?

E a formiguinha com a sua calma de sempre, respondeu com poucas palavras:

_ Não é uma questão de justiça. Penso que a moral da história é a seguinte:

 

Para que não tenhamos que aprender errando, as vezes, Deus  permite que o nosso aprendizado aconteça, simplesmente observando os erros dos outros.

 

FIM

 

Veja na próxima publicação (22/10/2015):

DEUS, o Homem, a Formiguinha, o trabalho e o EGO.

Ser repreendido pelo chefe, daquele jeito, na frente dos colegas de trabalho, tirou o sono do Homem. Naquela noite ele rolou de um lado para o outro em sua cama, pensando no que deveria fazer...

 

 

Newsletter

GOSTARIA DE RECEBER GRATUITAMENTE NOVOS POSTS? DEIXE SEU E-MAIL LOGO ABAIXO


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!